quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Espero por ti


Hoje penso nas minhas praias secretas
Vem á minha memória o mar ondulante
Para ele escrevi imensas cartas repletas
De poemas de amor de um amante.

Hoje penso nas areias das minhas ilusões
Nos passos que dei de mãos dadas com o mar
Ficaram as marcas de todas as recordações
Que a minha saudade não consegue apagar.

Hoje penso onde o meu coração chorou
A mesma praia da minha alma fria
Onde a chuva de nostalgia a minha face molhou
Com a nuvem branca que de trás do vento sorria.

Hoje penso nos meus desejos junto ao paredão
Na sua chegada ao areal para as gaivotas ver
Tantas as letras que escrevi sobre essa ambição
Era o sonho a concretizar antes de morrer.

3 comentários:

oteudoceolhar disse...

Ai! Juda...as palavras da saudades, dos momentos que o tempo não volta a trazer...alguém me dizia que a felicidade são pequenos momentos...nem mais pequenos momentos ou grandes momentos que nos fazem ansiar por sermos felizes, vezes e vezes sem conta...Que sabor tem o poema de hoje Juda? Suspiro e vou saindo de mansinho...Fica a companhia da musica que dança no meu ouvido há mais de 1 hora...Beijo n´oteudoceolhar ***

maria carvalhosa disse...

Querido Juda,

Há tanto tempo que não vinha aqui, que fiquei surpresa com o novo visual do teu blogue. É verdade que, nesta vida "louca" em que tenho andado, têm sido por mim negligenciados, sem querer, espaços que gosto de visitar, de pessoas de quem gosto, como é o teu caso. Vou tentar evitar que isso aconteça: a vida só faz sentido quando apreciamos aquilo de que gostamos, e acarinhamos aqueles que o merecem!
Beijos ternos.

Sereia Azul* disse...

Espero por ti...

a melhor forma de dar a mão ao tempo é escrever belos poemas como tu tão bem sabes fazer.

Encanta-me a ternura que respira em cada verso, são toques eternos na nossa alma que nos afinizam na partilha dos sentimentos...

Gostei muito do novo visual do teu cantinho.

Um abraço de brisa marinha*

Sereia Azul*