segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Abraça-me


Abraça-me o mar, meu melhor amigo
Tão forte que me machuca o peito
É o mesmo abraço que quero dar contigo
Quando neste areal fizermos o nosso leito.

Abraça-me o mar, fazendo-me uma carícia
Sorri para mim com todo o seu esplendor
É para a minha alma uma delícia
Sentir este aconchego do meu amor.

Abraça-me o mar, tirando-me da solidão
Fica em mim apertadinho e murmurante
Vem fresco no seu azul ao meu coração
O sal é saudade, a maresia a minha amante.

3 comentários:

Anônimo disse...

Um abraço.

Sim ,ele o Mar que te abraça onde tu sentes pelo abraço o quanto ele te ama. Como é bom sentir o amor que vem do Mar.
Senta-te na areia e sente o amor....o amor que te tira da solidão.Nele encontras tudo:a delicia do aconchego o sorriso da maresia,a saudade dos momentos desse areal que serviu de leito.

Lindo...o poema.

Beijinho e um abraço d´el@

oteudoceolhar disse...

O mar é aconchego, mas até esse me tem fugido...consegues sentir o seu abraço? Outrora consegui, mas o vento que se fazia sentir e o frio, não me deixaram mergulhar nas suas profundezas, outrora não exitava hoje tenho de ter cuidado...estava sublime de uma beleza envolvente, dava vontade de soltar amarras e correr para ele...o mar, fonte de inspiração que te envolve...Beijo n´oteudoceolhar

A. Jorge disse...

Amor e mar!
Que mais é necessário?

Um abraço

Jorge