terça-feira, 22 de julho de 2008

Pinhais da Leirosa


Adormeço com o som do mar
Embalado por um sonho meu
Quisera a vida de nunca namorar
O amor que em ti nasceu.

Vales verdes e pinhais de calor
Corvos e andorinhas por todo o lado
Espalhas graciosidade com amor
Como o mais belo poema cantado.

Mulher de pele aveludada macia
São os teus passos felizes na areia
Eu sonhador no meu peito sentia
O toque do trigo na terra de semeia.

Não me acordes fantasia da vida
Deixa que me afogue na imaginação
Que seja do pinhal da praia tão querida
As tábuas do meu caixão.

2 comentários:

Soflor disse...

Lindo.

oteudoceolhar disse...

E cá estou eu...ou pensavas que mudavas de ares e eu não vinha para te ler...até contrário, continuo como sempre...fiel leitura das tuas doces palavras.Casa nova, para palavras do amor de ontem, para os ecos do amanhã.***Afinal nada mudou só mesmo o visual. Que te traga bons ventos e marés, na tua (que faço um pouco minha pelo que me dás a conhecer), praia da Leirosa. Bem vindo....Beijo Juda n´oteudoceolhar ***