quinta-feira, 24 de julho de 2008

O mar chorou também


São Pedro de mar com sabor a mel
De onde podemos ver a imensidão
Tens o sal que quero para a minha pele
E um farol que enche o meu coração.

Junto á tua praia o meu amor ofereci
Sítio da minha vida onde me sinto bem
Fui deixado com a minha solidão e resisti
Chorei sozinho e o mar chorou também.

Hoje fiquei ali mais a minha memória
Na tua praia onde muitas palavras escrevi
Linhas de letras de uma verdadeira história
Todos os sonhos que sonhei para ti.

4 comentários:

ivone disse...

como no "à beira do rio piedra eu sentei e chorei..."


tal como pilar...

A. Jorge disse...

Continuas a ser um dos meus poetas preferidos!
Como eu já tinha saudades disto tudo!...
Hoje vim cá dar um "Alô" e dizer que tens uma mensagem no Vagabundices!

Um abraço

Jorge

Anônimo disse...

Secalhar não choraste sozinho Juda, secalhar para além do mar mais alguém chorou...lágrimas diferentes e distintas das tuas, mas lagrimas. Vim ao encontro das palavras, não sei de onde venho e tão pouco para onde vou...vim at+e aqui refugiar-me um pouco, no silêncio e no aconchego...perdida é como me sinto, mas vim. Beijo n´oteudoceolhar *

RESSACA disse...

Aqui nasceu o Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...