domingo, 11 de janeiro de 2015

O Questionário



Fazem sete anos de relacionamento. Maurício está com quarenta e oito anos e Graciela é dois anos mais nova.

Depois de falhanços matrimoniais que lhes deram filhos, ambos, se dedicaram à vida e essa lhes arranjou o encontro para não mais se largarem e procurarem ser felizes.

Maurício que participava numa festa da empresa onde exerce funções de administrativo encontrou-a no balcão de recepcionistas do hotel, a dificuldade no uso do cartão de credito levou Maurício a meter conversa no sentido de ajudar e conseguiu.

Resolvida essa questão, Maurício deixou os colegas e os brindes e convidou Graciela para uma bebida no bar, cerca de uma hora depois trocaram números de telemóvel e mail com promessas de que se voltariam a encontrar.

As histórias começam sempre assim.

Assumiram algum tempo depois uma relação independente, cada um em sua casa, com encontros praticamente diários em que um fazia parte da vida do outro.

Hoje, para festejar os sete anos de amizade, amor e autonomia escolheram o restaurante do hotel onde se conheceram, Graciela sorri e diz-lhe que é feliz: Tenho sido feliz ao teu lado se calhar é por nunca me falares em casamento.

Maurício enquanto ajeita os talheres: Tu tens sido uma mulher fantástica, agradeço-te a tua disponibilidade a paciência, amo-te muito, sempre te demonstrei o meu carinho e quero ficar contigo, mas, nesta ultima conversa que tivemos na mata do Buçaco acho que não podes exigir que eu não te questione quando entendo fazer.

Não é isso coração!, adianta Graciela surpreendida, ás vezes o teu comportamento e as  perguntas que me fazes deixam-me sem paciência para aturar as tuas apreciações.

Maurício coloca vinho no copo de Graciela e no seu também, é vinho tinto “Cavalo Maluco”, vá-lá vamos brindar a nós.

Deram pequenos goles e enquanto colocavam os copos sobre a mesa redonda Maurício segurando na mão de Graciela continua:

Tu recordas a cena do contrato com a empresa de distribuição de canais de televisão?, outra vez!, nós já debatemos isso quantas vezes, estás a estragar a noite.

Maurício insiste: Não é essa a intenção, é que eu nunca digo tudo de uma só vez, deixa que te questione, eu liguei para tua casa três vezes durante essa tarde, o telefone deu sempre inacessível e eu liguei para o telemóvel e falámos, tu estavas em tua casa?.

Um comentário:

Nidja Andrade disse...

Muito, muito bom!...
Te sigo, me segues também!....