quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Chorar de saudade


Hoje falaram de ti, saudade
De olhos fechados choraram
Andaste palas ruas da cidade
Da saudade que recordaram.

Eu também por aqui ando em pranto
Porque o mar tem a beleza do teu amor
Cobre-me no seu seio como um manto
E chora comigo a minha dor.

No mar a espuma branca é a tua pele
O sal é o doce do teu corpo a escorrer
Passa pelos meus lábios esse sabor a mel
Para que seja este o local onde vou morrer.

4 comentários:

Xana disse...

Pela madrugada dentro a escrever saudade.
Acho que é daqueles sentimentos que quando nos apanham, não nos largam a vida toda ;)
beijinho e descansa bem

Anônimo disse...

poema lindo.gosto muito.quem è o ti?nao digas, porque a ti te è o teu jardim secreto.
penssas que cada um de nos temos um ti?talves mas quando o perdemos de vista, so poderà isistir no nosso jardim secreto como a rosa vermelha que morre de sede porque o ti nao soube que ela estava ali.
um abraço
uma gimada na acibana.

Anônimo disse...

Adoro ouvir Secret Garden,mas os teus poemas precisam de nos transmitir que o amor nos faz feliz.
O amor é a felecidade que nos acompanha no dia a dia.
Não é a música indicada para ler as tuas palavras.

Um abraço
Muuuu

oteudoceolhar disse...

Nostalgia, saudade ... Enquadram-se perfeitamente no cenário e no som. Pelo menos é o que acho.
Fica um beijo n´oteudoceolhar*