quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O muito ou o pouco


Podemos ser felizes caminhantes
Fazendo a vida a namorar
Em todos os lugares sejamos amantes
Para que tenhamos momentos a recordar.

Sou feliz por não ter uma cidade
Tenho o vento na cara frio e forte
O céu sabe da minha felicidade
A terra ampara-me na minha morte.

Estradas sem destino de alcatrão
Levam os meus olhos na caravana
Segue o desejo do meu coração
De te amar mulher cigana.

3 comentários:

Nadine disse...

Lindo!
Já aqui canta: http://olhares.aeiou.pt/ciganos_alentejanos_foto4078702.html

Xana disse...

Muito intenso este teu poema :) , gostei muito !!
bom fim de semana

Anônimo disse...

caro amigo
apesar de lindo o que escreves tens que tomar atenção aos erros ortográficos....