sábado, 26 de setembro de 2009

Ondas do mar

Tenho momentos que desejo o silêncio afogar
Quando as ondas me enviam a sua ausência
Mantenho-me no areal impaciente junto do mar
Porque as ondas são o fresco da minha consciência.

O vento salgado avisa-me das marés vivas
Que levam e trazem ondas nas suas andanças
Podem banhar do seu perfume outras guaridas
De veleiros que sonham as suas esperanças.

Tenho momentos que desejo o silêncio afogar
Se não sei das ondas e a sua brancura
Olho o horizonte a ver a sua espuma a nadar
E se despejam em outras praias a sua ternura.

O vento salgado avisa-me das marés vivas
A calmaria do mar suaviza as minhas hesitações
Deixam no ar as gaivotas canções sentidas
Quando não sei das ondas das minhas emoções.

2 comentários:

EternaApaixonada disse...

Que maravilha! Emociona!
Uma linda semana!
Abraço

oteudoceolhar disse...

(vou experimentar Ernesto Cortazar – Autumn Rose (creio n consigo ler o título todo, mas escolho esta). Em desabafo te digo, não imaginas a saudade tremenda que tenho do mar, do sabor, do aroma, do apenas sentir a água nos pés, gelada ou não é-me completamente indiferente…creio que ele me entende, creio que ele entende o sofrer de cada ser…Leio-o um misto que não consigo descrever…