quarta-feira, 22 de julho de 2009

Os lirios são todos iguais

Olham os meus olhos os lírios ao luar
Crescidos no campo da imaginação
Eu também caminho junto ao mar
Como se te levasse pela mão.

A areia parece igual ao nosso olhar
Aos nossos olhos um campo verdejante
Somos nós na ilusão que o amor vem do mar
Se o vento o traz numa aragem esvoaçante.

Olha como eu te olho outra vez
Meu amor de tantos dias sem ti
São estas letras juntas para o que lês
Palavras que dizem que nunca te menti.

Ando de noite na espera do teu desejo
Guardado sozinho no quente do teu manto
Sou saudade na espera de um beijo
Enquanto olho os lírios do campo.

5 comentários:

Nadine disse...

A minha avó chama-lhes Coroas de Rei.

Chris disse...

Saudade na espera de um beijo - gostei...
Abraço

Tétis disse...

Um poema belo onde as flores, os lírios da imaginação, se misturam com a brisa do mar, trazendo saudades de um amor ausente.

O último verso recordou-me esse belíssimo romance de Erico Veríssimo: "Olhai os lírios do campo!".

Parabéns.

Sue disse...

Visitando...
Belo blog! Lindos versos!
Parabéns!
Beijinho!

mfc disse...

São umas flores lindíssimas!