sexta-feira, 17 de julho de 2009

O Poema

Antes de entrares na minha vida...
Os dias pareciam todos iguais...
E assim seria para o resto da minha existência.

Mas ao apareceres...
E não me peças para explicar,
Só sei que quero abraçar-te de vez em quando,
Se tu também quiseres.

O pensamento...
De que tu estás em qualquer lado...
E de que pensas em mim ás vezes...
Ajuda-me a viver...

3 comentários:

silvina disse...

Sou a imagem do fado
Sou amado, contestado
Mas muitos gostam de mim;
Sou corpo, sou coração
Sou fado e rejeição
Mas gosto de ser assim

Eu sou fado de certeza
Sou o pranto da tristeza / Sou um gemido de dor
Sou a voz do sentimento
Um sofoco, um lamento / E um suspiro de amor

Sou o fado do meu fado
Poema sempre cantado / Com estranha melodia
Sou a revolta do mar
Sou a saudade a chorar / No colo da nostalgia

Sou o trinar da guitarra
O cantar de uma cigarra / Pelos poentes de verão
Sou grito na sombra escura
Sou fado de amargura / Nas noites de solidão

CIBELE CAMARGO disse...

Boa tarde,
Lindo poema,delicado,suave,sensível.
Sucesso,sempre !
Abraços, Cibele

CIBELE CAMARGO disse...

Boa tarde,
Lindo poema,delicado,suave,sensível.
Sucesso,sempre !
Abraços, Cibele