quinta-feira, 11 de junho de 2009

O Mar da Leirosa

Vou escrevendo o que as letras dão
No sossego da tua esperança
O mar vem a mim na sua ondulação
Trazendo amor na timidez da bonança.

Agora falo de ti com um café na mesa
Desperto curiosidades e sensações
Digo de coisas boas sem certeza
Sem mostrar as minhas emoções.

É o coração no melhor do seu pulsar
Como o vento numa oliveira sacode o ramo
Estou a escrever letras para ler ao mar
Que terminam a dizer o quanto te amo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Entrei...li....gostei.
Deixo um beijinho e desejos de um belo fim de semana.

Nataleca

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Pegue um sorriso
E doe-o a quem jamais o teve.
Pegue um raio de sol
E faça-o voar
Lá onde reina a noite.
Descubra uma fonte
E faça banhar-se
Quem vive no lodo.
Pegue uma lágrima
E ponha-a no ânimo
De quem não sabe lutar.
Descubra a vida
E narre-a a quem não sabe entende-la.
Pegue a esperança
E viva na sua Luz.
Pegue a bondade
E doe-a
A quem não sabe doar.
Descubra o AMOR
E faça-o conhecer o mundo.

(Mahatma Gandhi)

Desejo um lindo final de semana com muito amor e carinho...
Abraços Eduardo Poisl

Xana disse...

desculpa a ausencia , mas tenho andado numa corrida cá em casa :)
como sempre adoro este clima de amor e saudade!

beijos meus