sábado, 21 de fevereiro de 2009

Seiça ou o mistério das paredes

Venho aqui e penso secretamente
Caminho em direcção á fonte
Não vejo cegonhas voar levemente
Sinto o vento nas árvores do monte.

Este é um lugar mítico que sabe o que sei
Aqui tudo faz parte de alguma história
São os milagres que se deram com um rei
E o que faz parte da minha memória.

Alguém deve ter neste lugar amado
Sofrido de solidão da velha dor
Eu venho por um sonho sonhado
Não sei quem és, meu amor.

*Fotografia cedida pela filha

4 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

O que dizer para alguém que sempre escreve tão bem? Dizer que é bonito seria cair no lugar comum, mas talvez eu possa dizer que estes poemas são bons porque tem alma...seria isso?
um abraço

mfc disse...

Enterneço-me sempre aqui!

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Desculpa pela minha ausência, mais estou trabalhando, Florianopolis está lotada de turistas para o Carnaval.
Só passei para desejar um bom fim de Carnaval e uma ótima semana.
Abraços

Anônimo disse...

segredos e solidao da velha dor.a tua musica me transporta para essa paisagem esse caminho vermelho com tanta poeira e os pinheiros que me ofereciao sombra para um bocadinho de sonho sò num dia de 15 de agosto.obrigado.
choramingas.