segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

És o amor da minha emoção...


Procuro palavras de tantas que já te dei
Foram ditas com tudo o que sentia
Falavam dos momentos em que te amei
E de me teres devolvido a magia.

O vento nosso amigo confidente
O mar que nos limpava as cicatrizes
O amor por um abraço ardente
O beijo que nos devolveu ás raízes.

Mulher minha vitima de sedução
Dos dias que chorei por não te ver
És o amor da minha emoção
O regaço onde quero morrer.

3 comentários:

Teresa queiroz disse...

colectânea Significado de Colectânea subst. f. 1. colecção de textos de vários autores

CONVITE

Vamos iniciar uma nova colectânea ...desta vez só para AUTORES

DESCONHECIDOS ----- QUE NUNCA TENHAM SIDO PUBLICADOS

Textos; Pequenas Histórias; Pequenos contos; Histórias pessoais , reais!!

Queremos publicá-los com histórias reais, de gente que sente e que vive !

Histórias da vida real .
Histórias sem idade...

Histórias sem preconceitos, sem tábus e sem "medos"...na "CORDA BAMBA"

1º Passo

- Enviar o manuscrito em formato word; A5

para a apreciação e selecção

( recebemos o vosso manuscrito até dia 27 de Março de 2012 )

e-mail : pastelariaestudios@gmail.com

Cá vos esperamos com histórias e mais histórias !!

Transformamos as vossas obras em sonhos acordados”


Teresa Maria Queiroz

Flor de Jasmim disse...

Um poema mocionante!
Não comento para não estragar a magia que nele existe.

Esta sua menina fez questão de vir ter comigo às Termas de Monte Real para nos conhecermos pessoalmente, eu já sentia uma imensa simpatia por ela, mas fiquei a gostar muito muito dela, acredite.

Beijinho e uma flor

oteudoceolhar disse...

Poeta dos mil encantos,

podia dizer por palavras tanto mas tanto...sabes que podia, porque nas tuas palavras me perco.
Mas hoje, apenas um sorriso.
As tuas palavras serão sempre únicas, serás Poeta da minha eleição, por amares assim com tanta emoção.

O Poeta escreveu...e quando o Poeta escreve o Sol brilha, e fazes-me feliz.
Feliz... ainda que eu também tenha,um "vento norte", que vem ao encontro do "vento sul"...e sempre o Mar, esse nosso fiel amigo ...
Deixas-te-me Feliz a sério que sim, fazia tempo que não saboreava um poema, daquele que escreve como ninguém. Para mim assim será, sempre...Estranho? Pois que seja. Com o respeito de sempre Juda.
Deixo um beijo n´oteudoceolhar.

(Fixa o nome se assim entenderes claro: "Entre o Rio e o Mar...está a arte de Amar" - Trarei o noticias num destes dias lá pelo meu canto dos rabiscos).