terça-feira, 29 de junho de 2010

Meu amor


Eu queria amar-te aqui
Aos olhos de toda a gente
Foi o que na minha alma senti
Quando me surgiste de repente.

Junto ao mar és o meu único amor
Quem eu desejo ao meu lado
Chora o meu peito de dor
Igual aos que cantam o fado.

"Meu amor", foi o que me escreveste
Com letras que me fizeram chorar
A seguir "Meu amor" esqueceste
Enquanto eu sonhava em te amar.

Escrevo o que quero com amargura
Palavras de uma canção na tua voz
Resta receber a tua ternura
Porque o destino somos nós.

2 comentários:

oteudoceolhar disse...

Não … assim, não gosto, assim não te gosto de ver…sem lágrimas Juda, com emoção mas sem lágrimas, porque dizem “que os homens não choram”, mas também sempre achei que os homens não sentiam, e em Ti “vejo” e sinto pelas palavras sentimento, um imenso sentimento como imenso é o mar que tanto amamos. Bom saber que as palavras continuam a fluir, a existir…que não só nas tuas mãos elas permanecem, como na tua alma e coração. Bom saber que não desistes. Deixo um beijo n´oteudoceolhar *

FOTOREVELADA disse...

Quanta beleza em tua alma!
Penso em lágrimas que correm de teu rosto e chegam no mar...