sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Inquietações

Sou este homem de que ouves falar
Que cultiva nas valas da imaginação
Amores regados pela água do mar
E que dorme no silencio do teu coração.

A tua vida espera por um beijo meu
Sonha com a junção dos nossos corações
Nunca um amor em ti assim se viveu
Para sentires na alma tantas inquietações.

Não chores mulher por este tormento
Vive feliz para amar a toda a hora
Beija só por amor a todo o momento
Porque o vento chega e logo se vai embora.

5 comentários:

oteudoceolhar disse...

Quando aqui venho procuro acreditar...as tuas palavras levam-me a crer que é possivel, que num homem há a sinceridade que descreves...o carinho a ternura. Quando aqui venho e te leio acredito...mas só aqui. A escolha da foto está SUBLIMe...ficava sentada ali a olhar aquela imensidão de azul. * Beijo Juda, n´oteudoceolhar

A. Jorge disse...

Para quem gosta de poesia, como eu, não existem mais palavras para dizer, a não ser... Boberbo! Simplesmente Soberbo!

Um abraço

Jorge

Anônimo disse...

Vou deixar-te um abraço pelo lindo poema.
Sempre que passo aqui para te ler pergunto-me como é possivel.
Poesia linda...... junto com a música é de ficar tempos esquecidos aqui.

Um abraço da Nataleca

mfc disse...

Cada vez é mais urgente amar!

Marisocas disse...

Olá!
Tudo bem?
Aqui estou eu para anunciar mais uma criatividade minha, a poesia. Passa em http://poesiademarisocas.blogspot.com/ e deixa um comentário.
Beijinhos grandes e Feliz Natal.