quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Barco encalhado


Eu sei que procuras por mim
No mar de todos os navegantes
Percorres o horizonte sem fim
Junto ao mar de todos os amantes.

Procuras de noite um barco encalhado
Percorres o areal pela madrugada
Não fora esse barco encontrado
Nunca serias uma mulher amada.

Eu sei que o mar dá e tira também
São dele tristezas, alegrias e amores
Procuras o que ele mais tem
Leva o que queres, não deixes flores.

2 comentários:

Cöllyßry disse...

Olá Juda... Pensava eu que tinhas acabado com o blog, ainda bem que não
Andamos sempre à procura de algo, e à espera de…

Gostei muito de te ter encontrado,

Beijito

http//olharindiscreto.blogs.sapo.pt/

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema caro amigo.
Como sempre, os teus poemas são um regalo para os sentidos dos leitores.
Abraço.