sexta-feira, 5 de julho de 2013

As Calças


Sai do ginásio em direcção a casa muda o saco de mão para atender o telemóvel, é a amiga que festeja o aniversário e onde ela irá estar nessa tarde.

Entra em casa e chama pelo filho, não tem resposta, o rapaz não está, vai ao quarto tira a roupa depois de arrumar o saco desportivo e entra no duche.

Já nos quarenta e tal é mãe, não casou. Viveu uma relação durante sete anos que lhe deu um filho e há seis que não se entregou a ninguém, dedica-se ao trabalho aos amigos à família e joga golfe e bowling.

Hoje é o aniversário de uma amiga especial, foi ela que lhe apresentou o pai do filho e a apoiou na separação. Ele partiu para outra cidade e nunca mais o viu, são familiares que vêm buscar e trazer o rapaz para os dias que passa com o pai.

Debaixo da água pouco quente ela coloca as mãos na cara sentindo o repuxo nas costas, ao mesmo tempo, deduz que ele pode estar na cidade, até pode aparecer na festa.

A duvida percorre-lhe todo o corpo enquanto deixa o duche. Seca-se depois enrola-se na toalha e vai para o quarto.

Seis anos. Ele pode aparecer. Esta dúvida não lhe sai da cabeça, a amiga não lhe disse nada e agora também não a vai questionar.

As histórias começam sempre assim. 

Abre o guarda-roupa. Há primeira vista parece-lhe que não tem nada para vestir. Vai olhando o armário completamente cheio, começa a vestir e a despir, está nervosa, ao fundo tira umas calças e veste-as, sente-se bem, acaba de se vestir e vai para o espelho, olha-se.

Coloca umas pinturas na cara e pega na mala de mão, sai para o automóvel. 

Percorre as ruas até chegar a casa da amiga, está uns minutos atrasada, entra na festa e a surpresa é inevitável, ele veio, estava a falar com um velho conhecido de copo na mão.

Fica ainda mais nervosa, começa a cumprimentar quem conhece e dá um abraço à aniversariante.

Ele dirige-se para elas e a amiga é levada por outro conviva, ficam frente a frente. 

Não tinha a certeza que vinhas, ela não me disse nada. Começa ele abanando o copo de beirão com gelo. Eu não me preocupei com isso, diz ela, olhando à volta. Não acredito, acho que sabias que eu estava cá e podia vir aqui. Sim, tu e a tua imaginação!?!. Tá bem, não interessa, mas é curioso que depois destes anos tu apareces com as calças que eu tanto gostava de te ver no corpo.

Nenhum comentário: