segunda-feira, 23 de abril de 2012

Simplesmente


Simplesmente São Pedro de Moel.

E tu tens o mar que na areia acredita 
Que o coração dentro de ti se agita
A alma que se auto-sustenta
Rua abaixo em passada lenta.

Simplesmente a tua roupa branca.

Quem será o anónimo pintor
Do teu sorriso na praia de um amor
Das letras escritas a toda a hora
No areal onde o vento namora.